Vandré e as músicas contra a ditadura



Geraldo Pedrosa de Araújo Dias nasceu em 12 de setembro de 1935, em João Pessoa, Paraíba. Primeiro filho de José Vandregisilo e Maria Eugênia.

Desde a infância gostava de música e participou de vários festivais de colégio. Em 1951, sua família mudou-se para o Rio de Janeiro, na cidade maravilhosa conheceu grupos culturais e artistas como Valdemar Henrique, Baden Powell e Luis Eça.

Em dezembro de 1964, lança o seu primeiro LP “Geraldo Vandré”.


Em 1965, participou do I Festival da Música Popular Brasileira da TV Excelsior, defendendo a música “Sonho de Carnaval” de Chico Buarque; neste mesmo ano lançou o seu segundo disco “Hora de Lutar”. Em 1966, lançou “Cinco anos de Canção”.



A sua música “Disparada” venceu o II Festival de Música Popular Brasileira da TV Record de São Paulo, interpretada por Jair Rodrigues em 1966. Em 1968, no III Festival Internacional de Cultura em São Paulo, fez grande sucesso com a música “Pra não dizer que não falei de flores” que ficou em segundo lugar e tornou num hino contra a ditadura.


Com o aprofundamento do AI-5 no período de ditadura no Brasil, Vandré morou no Chile, França, Argélia, Alemanha, Áustria, Grécia e Bulgária. Na Bulgária, venceu o Festival Internacional com a música “Che”.