Os estados esquecidos do Brasil



Acre (AC)

Capital: Rio Branco
Gentílico: Acriano (antigamente era acreano)
Fronteiras: Amazonas (N), Rondônia (L), Peru (O) e Bolívia (S)
Número de Municípios: 22
Região: Norte

O Acre é um dos estados mais recentes do Brasil, pois originalmente era território da Bolívia, no entanto a partir de 1877, a exploração das seringueiras na Floresta Amazônica, levou muitos trabalhadores para o Norte, especialmente emigrantes nordestinos, em busca de conseguir emprego como seringueiros, pois o mercado da borracha estava em alta, logo, a região que compreendia o Acre era rica seringueiras. Em 1899, os bolivianos tentaram recuperar o Acre, dando início a Revolução Acriana (em espanhol é chamada de Guerra do Acre), o conflito durou até 1903, e neste tempo, o Acre fora proclamado por Luis Gálvez Rodriguez de Arias (1864-1935) de República do Acre (a ideia era se criar um estado temporário para se vencer a luta contra os bolivianos e finalmente ingressar como parte do Brasil), a qual durou apenas alguns meses, sendo abolida pelo presidente do Brasil, Campos Sales em 1900, no entanto, o conflito se manteve até 1903, e posteriormente a República brasileira negociou com a Bolívia a compra deste território que já era ocupado de forma civil e militar desde 1877.


Localização do Acre
Em 1904, o Acre fora reconhecido como território federal oficial do Brasil, mas apenas em 1962 é que o presidente João Goulart oficializara o Acre como um estado, pois até então o Acre não possuía autonomia política para eleger os cargos do governo, organizar os municípios, criar leis, etc.


Bandeira do Acre

Os nomes Acres não advêm da mesma palavra que pode ser encontrada na língua portuguesa e em outros idiomas, mas na verdade fora um erro de interpretação ou uma adaptação sonora para a pronúncia. Neste caso, o rio no qual batizara o estado, era chamado entre os índios Ipurinã de Umákürü ou Uakiry, entretanto, os brasileiros acabaram adaptando tais palavras para a forma de Aquiri, que no dialeto dos Ipurinã significa "rio dos jacarés". Devido ao fato de ser o principal rio da região e o mais utilizado durante o Ciclo da Borracha, começou-se a chamar a região de Aquiri, e a partir de outro erro de interpretação ou uma adaptação feita, o nome Aquiri passou a ser Acre.


Amapá (AP)

Capital: Macapá
Gentílico: Amapaense
Fronteiras: Suriname (N), Pará (O), Oceano Atlântico e Pará (L) e Pará (S)
Número de Municípios: 16
Região: Norte

O que hoje é a região do estado do Amapá um dos menores estados do Brasil, e com o maior número territorial em reservas indígenas, começou a ser colonizado pelos portugueses e os brasileiros a partir do século XVII, embora desde o século anterior, espanhóis, holandeses, ingleses e franceses visitaram a região. Fora a partir de entradas que partiram de Belém do Pará que os colonos começaram a desbravar as terras que ficaram conhecidas como "Guiana Brasileira" como forma de se diferenciar dos territórios da Guiana Inglesa (hoje República da Guiana), Guiana Francesa e da Guiana Holandesa (hoje Suriname).



Localização do Amapá
O Amapá fora durante os séculos XVII e XVIII explorado para abastecer o mercado de escravos indígenas, o mercado de especiarias, como também se procurou ouro e outras riquezas naturais na região, todavia, a região compreendia na época a Capitania do Grão-Pará, e depois a Província do Pará. Apenas em 1943 que o Amapá fora desmembrado do Pará passando a ser um território federal (não possuía um governo elegido pelos seus habitantes, mas possuía uma certa autonomia), entretanto nos séculos XVIII e XIX, vários problemas entre os franceses e o brasileiros ocorreram devido ao limite da fronteira norte do Pará com a fronteira sul da Guiana Francesa, pois segundo os franceses, o que hoje é o Amapá, na realidade era território da Guiana Francesa e não território inexplorado como o Brasil alegara na época. Assim, hora a política portuguesa e depois brasileira reconhecia aquelas terras como sendo pertencentes a França, e hora reconheciam elas como legalmente pertencentes ao Brasil devido a exploração e ocupação feita nesta área. Apenas 1988, o Território Federal do Amapá fora oficializado como estado do Amapá.


Bandeira do Amapá
O nome Amapá também é de origem indígena, entretanto não há um consenso sobre a exata origem da adoção de seu nome. Na Língua Tupi, Amapá significa literalmente "morada da chuva" ou "lugar da chuva", como forma de referir-se aos altos índices pluviométricos da região tropical amazônica. Uma outra opinião é que o nome tenha vindo do idioma Nheengatu, conhecido também como "língua geral da Amazônia", uma espécie de dialeto comum utilizado por várias tribos, assim como pelos missionários e colonos, neste caso Amapá significaria "terra que acaba" ou "ilha". Uma terceira hipótese diz que o nome Amapá tenha sido escolhido para fazer referência a árvore amapá (Hancornia amapa) árvore típica desta região que produz pequenos frutos roxos e do tronco se extrai uma seiva branca, conhecido como "leite de amapá" utilizado para se fazer medicamentos naturais.


Rondônia (RO)

Capital: Porto Velho
Gentílico: Rondoniense ou rondoniano
Fronteiras: Amazonas (N), Mato Grosso (L), Acre e Bolívia (O), Bolívia (S)
Número de municípios: 52
Região: Norte

A região de Rondônia já havia sido visitada pelos espanhóis no século XVI, no século seguinte fora a vez de algumas entradas e bandeiras, como a de Antônio Raposo Tavares, famoso bandeirante, que percorreu a região e meados do século XVII. Todavia, o lugar fora deixado a posse dos indígenas, pois a colonização não viu nada de interessante naquelas terras. No século XVIII, com o desenvolvimento da mineração na Capitania do Mato Grosso, algumas entradas foram realizadas em direção ao rio Guaporé, para se descobrir jazidas de ouro ou minas naquelas terras, logo Rondônia passou a fazer parte do Mato Grosso. O governador do Mato Grosso,  Antônio Rolim de Moura Tavares incentivou a fixação de colonos nas margens do rio Guaporé para ocupar aquela região, pois os espanhóis a cobiçavam, embora que tecnicamente aquelas terras pertenciam a ele. Entretanto, com a assinatura do Tratado de Madrid (1750), a região de Rondônia passou a pertencer oficialmente ao Mato Grosso, ao Brasil e aos portugueses. Nos anos seguintes povoados seriam erguidos, assim como fortes para proteger a região dos índios arredios e dos peruanos (pois a Bolívia na existia nesta época).


Localização de Rondônia
O Mato Grosso com a escassez de suas minas ficou quase que estagnado no tempo, por cerca de um século, até que com o início do Ciclo da Borracha no final do século XIX, muitos mato-grossenses se dirigiram para o noroeste da província no que hoje é Rondônia, a fim de se tornarem seringueiros, alguns de lá, partiram para o Amazonas e o Acre. Alguns nordestinos também foram se fixar nesta região para se tornarem seringueiros. O Ciclo da Borracha dera uma nova vida a região noroeste do Mato Grosso no final do século XIX e começo do XX. Em 1943, Getúlio Vargas criou os Territórios Federais, como fora mencionado anteriormente, e um destes territórios fora o Território Federal de Guaporé, que compreendia quase que o atual território de Rondônia. Guaporé vinha do rio homônimo, que significa em tupi "campo da catarata" ou "cachoeira do campo". Em 1956, o território fora renomeado para Território Federal de Rondônia, e apenas em 1981 se tornou um estado.


Bandeira de Rondônia
O nome Rondônia fora uma homenagem dada ao marechal Cândido Mariano da Silva Rondon (1865-1958), que fora um famoso militar e sertanista da região. O termo sertanista era atribuído desde o século XVI, para referir-se aos homens que iam explorar os sertões (designação genérica para se referir ao interior), fosse em entradas, em bandeiras, em missões militares, etc. No caso de São Paulo, eles chamavam seus sertanistas de bandeirantes.

Rondon participou do movimento republicano no final do século que resultou na proclamação da República em 1889, viajou várias vezes pelo o Mato Grosso, Goiás e o Amazonas, para coordenar e supervisionar a construção de linhas de telégrafo; realizou expedições para explorar o Amazonas e entrar em contato com os povos indígenas do estado, assumiu cargos no exército, realizou mapeamentos, e levantamento de dados geográficos, etc. A partir de seus feitos, o governo federal o homenageou, dando o nome de Rondônia ao território federal de Guaporé. Em 1957 chegou a ser indicado ao Nobel da Paz pela Explorer's Club dos Estados Unidos.


Roraima (RR)

Capital: Boa Vista
Gentílico: Roraimense
Fronteiras: Venezuela (N), Pará e Guiana (L), Amazonas (O), Amazonas (S)
Número de municípios: 15
Região: Norte

A região que hoje compreende Roraima, já havia sido percorrida pelos espanhóis, ingleses, franceses e holandeses, pois tal região assim como a Amapá, compreendiam a região chamada de Guianas. Todavia, os portugueses passaram por estas densas florestas no século XVII, mas apenas nos século XVIII que missões jesuíticas portuguesas se instalaram na região para catequiza os indígenas, e os portugueses temendo que os ingleses, franceses e holandeses, os quais dominavam parte das Guianas invadissem aquelas terras, que Portugal já julgava desde 1750 serem suas, começou-se a se fundar povoados e fortes, como o Forte de São Joaquim do Rio Branco para defender a região. De qualquer forma, Roraima pertencia a Capitania do Grão-Pará, depois rebatizada de Capitania do Grão-Pará e Rio Negro.


Localização de Roraima
A ocupação de Roraima fora lenta e começou propriamente a se intensificar no final do século XVIII com a vinda de gado bovino e equino, e a criação de fazendas de gado para abastecer a região amazônica, embora que o Maranhão e o Pará também fizessem isso. No século XIX, o nordeste de Roraima fora palco de disputas com os ingleses no que ficou conhecido como a Questão do Pirara, onde tal região era reivindicada pelos ingleses que alegavam que aquelas terras faziam parte da Guiana inglesa e não do Brasil. A questão do Pirara perdurou até 1904, quando fora solucionada. Durante o século XIX, Roraima fazia parte da Província do Amazonas, e posteriormente no período republicando, do estado do Amazonas. Em 1943 com a criação dos Territórios Federais, a região fora desmembrada do Amazonas, se tornando o Território Federal do Rio Branco, onde nome se deve ao rio Branco, principal rio da região. Em 1962, o território fora rebatizado para Território de Roraima, e apenas em 1988, tornou-se o atual estado de Roraima. Durante os anos 60, 70 e 80, Roraima se tornara um importante centro minerador do Norte, tendo até mesmo minas de ouro e de diamantes.


Bandeira de Roraima
A hipótese mais aceita para o significado do nome Roraima, é que tal nome provêm da língua indígena dos Ionomâmi, onde rora ou roro = verde + ímã = serra ou monte, logo Roraima seria "Monte Verde" ou "Serra Verde", pois na região há muitas serras, e como algumas são densamente cobertas por florestas, daí a alusão a "monte verde". Além disso, no estado existe o monte Roraima, de onde fora tirado o nome para batizar a região.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assinar: Postar comentários (Atom)