Anos Incríveis - A série inesquecível


É um seriado de sucesso que, através da vida de Kelvin, apresenta questões sociais e eventos históricos do final dos anos 60 e início dos anos 70.

A Série.

Anos incríveis foi uma série americana de televisão criada por Carol Black e Neal Marlens. O programa dosava muito bem drama e comédia e estreou na rede ABC no dia 15 de março de 1988, totalizando 115 episódios de aproximadamente 22 minutos de duração.

A série se situava no começo dos anos 60 e terminava nos anos 70 com Kevin e seus amigos entrando na fase adolescente. Os episódios eram apresentados de forma nostálgica, mostrando uma época de inocência tanto para os personagens quanto para a sociedade.
                       
Anos Incríveis rodou o mundo, ganhou elogios da crítica pela sua inteligência e sutileza, sendo vencedora de vários Emmy’s, o Oscar da TV americana. Talvez o grande motivo do seu sucesso foi o uso de uma fórmula diferente da que as séries americanas estão acostumadas a usar. Ao invés do humor pastelão e risos pré-gravados, Anos Incríveis mostrava um humor sutil e inusitado em cima de uma situação dramática.

Apesar dos inúmeros pedidos de fãs para que o seriado seja lançado em DVD, isso se torna cada vez mais difícil porque boa parte da trilha sonora da série tem os seus direitos muito caros para serem viabilizados, além de constarem na série mais 300 músicas. A alternativa da empresa de trocar a trilha por outra mais barata, foi descartada porque os fãs defendem a comercialização do DVD com toda a trilha original.

A História


A série Anos Incríveis narrava o cotidiano e os problemas de amadurecimento de Kevin Arnold (Fred Savage), um garoto de 12 anos, que enfrentava os choques da adolescência, como: sexo, namoros, problemas familiares e confusões na escola.

Kevin tinha como melhor amigo Paul Pfeiffer (Josh Saviano), uma espécie de confidente com quem ele repartia parte da sua vida, mas muitas coisas que se passavam na mente do protagonista, só os telespectadores tinham o privilégio de saber, já que o seriado era narrado em primeira pessoa, e através das confidências de Kevin, já adulto, podíamos compartilhar as alegrias e tristezas dele conosco e muitas vezes nos identificar com elas.

Os Arnolds eram uma típica família americana. O patriarca Jack Arnolds (Dan Lauria) era um sujeito durão e muito rígido com a seus familiares. Estava sempre tentando juntar dinheiro para mandar a filha Karen (Olivia d’Abo) à uma boa faculdade quando a moça completasse a maioridade. 

A senhora Norma (Alley Mills) cuidava excessivamente dos filhos e queria ser independente, trabalhar fora e ganhar seu próprio dinheiro. No embalo dos tempos pós-modernos queria se livrar do fogão. A irmã de Kevin, Karen, era uma hippie tomada pelo Flower Power. E Wayne (Jason Hervey), fazia o tipo chato que vivia implicando com o caçula da família.
                       
Como pano de fundo eram mostrados todos os fatos históricos que aconteciam na época, assim como conflitos políticos, a onda hippie, a invasão do Rock, Woodstock, Elvis Presley etc. Em vários episódios podíamos ver cenas antológicas da história e também do Rock, como a primeira vez que Os Beatles apareceram na TV americana ou a primeira vez que Mick Jagger desembarcou nos Estados Unidos, entre muitas outras. 

A trilha sonora também nos fazia viajar, pois estava recheada de clássicos do rock. 


A música que abria e encerrava o programa, com Joe Cocker, era apenas o começo. Kevin Beija Winnie pela primeira vez ao som de “Blowing In The Wind”, clássico de Bob Dylan cantado pela magistral Joan Baez.

Após os primeiros episódios, Kevin passou a se dedicar a conquista do seu grande amor, Winnie (Danica McKellar), uma garota confusa que passava por problemas familiares após a morte de seu irmão mais velho no Vietnã. O último episódio mostra Kevin e Winnie seguindo caminhos separados, o pai de Kevin morre e Wayne seu irmão assume os negócios da família. Kevin se casa com outra pessoa e tem um filho.

No Brasil

No Brasil, a série estreou no canal MultiShow (GloboSat) em 1993, na ocasião o seriado era mostrado com legendas às segundas, quartas-feiras e sábados.

Ainda me 1993 a TV Cultura adquiriu os direitos de transmissão da série que inicialmente passou a ser exibido com legendas e no ano seguinte com a dublagem da Àlamo. Na emissora, onde era exibida de segunda a sexta-feira, a série alcançou um grande sucesso, ainda assim a Cultura não conseguiu fechar o contrato para continuar sua exibição, diante dos altos gastos para uma emissora “não comercial”. Em 1996 passou a ser transmitida pela TV Bandeirantes, aos sábados às 19h. com o mesmo título. O grupo Bandeirantes, na ocasião, também mostrou a série no Canal 21.
                       

O canal MultiShow passou a reprisar o seriado na versão original com legendas em dezembro de 1996.

Em 2004 o seriado voltou a ser exibido pela TV Cultura onde ficou até 2006, sendo retirado do ar por conta do término do contrato de exibição do programa.

Teve fitas em VHS lançadas no Brasil pela Castle em 1988.

Emissora: ABC.
Emissora no Brasil: MultiShow, TV Cultura, TV Bandeirantes e Canal 21.
Transmissão Original: de 31 de janeiro de 1988 a 12 de maio de 1993.
Duração: 22-24 minutos.
Temporadas: 4 (115 episódios).
Cores.
Companhias Produtoras: The Black-Marlens Company e New World Television.


Postar um comentário
Assinar: Postar comentários (Atom)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...